Social Media: a profissão que mais cresce no marketing

A profissão Social Media já foi apontada pelo Linkedin como a mais promissora em 2020 e tudo indica que essa demanda só seja ampliada a partir de 2021.

Ao longo da pandemia, as vendas on-line aumentaram 100%, conforme relata o site Canaltech.

Isso se deve principalmente ao isolamento social, responsável por acelerar a digitalização dos negócios que já estava em curso.

Ou seja, as pessoas já estavam comprando mais pela internet. Mas, com a impossibilidade de frequentar negócios físicos, mesmo aqueles que nunca tinham efetuado uma compra on-line passaram a aprender a comprar por esse meio.

E o que isso tem a ver com o Social Media? Tudo!

O tempo que as pessoas passam navegando por páginas aumentou.

E, com isso, as oportunidades se multiplicaram, conforme veremos neste artigo.

Por que o social media é a profissão mais procurada ?

Sabe quanto tempo um post tem para captar a atenção de uma pessoa? Apenas 8 segundos. Ou até menos.

Se não for interessante o suficiente para a audiência, é provável que o post acabe no limbo, sem nenhuma interação.

Todo negócio, seja físico ou digital, busca conectar-se com os seus clientes e futuros clientes utilizando suas redes sociais.

Nesse meio, o Social Media é o profissional responsável por elaborar estratégias para atrair seguidores e transformá-los em clientes.

Como a digitalização dos negócios está acelerada, existe muito mais demanda por projetos do que profissionais capacitados para atendê-los.

É por isso que, quanto antes o Social Media buscar se aperfeiçoar, melhores as oportunidades nesse vasto mercado.

Por onde começar como Social Media?

É cada vez mais comum encontrar profissionais de diferentes áreas do conhecimento atuando como Social Media.

Eu mesma sou graduada em odontologia e atuo como Social Media há 11 anos.

Em meus cursos, conheci advogados, jornalistas, profissionais de saúde, arquitetos e muitos outros profissionais que entravam para o treinamento com intenção de criar o próprio conteúdo e ficaram tão bons que tornaram-se Social Media para outros perfis.

Isso é muito comum, e vai ficar cada vez mais. Estamos em uma profissão que não exige um certificado, um registro ou qualquer coisa como ocorre em profissões como Medicina ou Direito.

Não é preciso ter concluído alguma faculdade específica como Marketing, Comunicação ou Tecnologia da Informação. Inclusive, existem muitos profissionais que sabem entregar resultados sem sequer terem pisado algum dia em um curso superior.

No curso Criadores de Conteúdo, eu coleciono casos assim. Somente durante essa semana, estou com as inscrições abertas para um COMBO com três cursos:

CRIADORES DE CONTEÚDO + PROFISSÃO SOCIAL MEDIA + CRIADORES DE VÍDEOS

Todos os 3 por um valor nunca visto antes que você pode conferir clicando no botão abaixo:

Quanto ganha um Social Media?

Não existe um salário padrão para Social Media. Mas, é possível fazer projeções a partir dos valores que vemos praticados no mercado.

Aqui, não estamos falando dos “fazedores de posts”, mas sim de quem trabalha pautado em estratégia.

É perfeitamente possível fazer a profissão Social Media tão lucrativa quanto uma profissão na arquitetura, hotelaria, advocacia, entre muitas outras.

Quer um exemplo?

Suponha que você cobre um valor entre R$ 1200 e R$ 1500 por perfil administrado, que englobe Facebook, Instagram e pequenos anúncios.

É possível gerenciar sozinho até 4 ou 5 perfis desse porte, o que pode gerar ganhos superiores a R$ 6 mil. É preciso ser bom para cobrar isso? É preciso ser bom.

Porém, mais do que isso, também é preciso saber vender esse serviço.

Como vender o serviço de Social Media?

Uma boa venda acontece quando a gente consegue fazer uma boa estratégia para o cliente. Nenhum cliente vai pagar mensalmente pelo serviço de gerenciamento das redes sociais se ele não tiver resultados com aquilo.

Muitas vezes, o cliente nem sabe o que é ter resultado. Ele imagina que sejam muitos seguidores, muitos comentários e curtidas. Mas, depois que o perfil passa a engajar, ele pode entender que aquilo está caro, ou seja desnecessário, ou que ele pudesse fazer sozinho.

Na verdade, o objetivo para o cliente é onde ele pode chegar com o engajamento que o conteúdo produzido traz.

Logo, para vender o serviço de Social Media e para que ele continue pagando por esse serviço todos os meses, a primeira etapa é ser capaz de produzir uma estratégia de conteúdo digital.

Nessa estratégia, você vai listar com o seu cliente os objetivos de estar nas redes sociais e também cavocar o perfil dele para encontrar o DNA do Conteúdo.

É esse o fator responsável por posicionar o seu cliente na mente da audiência e atingir os objetivos listados. Seja mais pacientes para o consultório, mais vendas, alugar a casa, ou aquilo que ele pretende com o trabalho nas redes sociais.

Por isso, a estratégia com a definição dos objetivos, das metas e do DNA do conteúdo do seu cliente são fundamentais.

Na sequência, o Social Media vai definir as personas, que são os perfis que compram do seu cliente. Também vai definir as linhas editoriais, que são os assuntos a serem tratados nos perfis, e o calendário de conteúdos, que é onde e quando vai ocorrer a comunicação com as personas.

Para te auxiliar a fazer uma boa estratégia de conteúdo, preparei um videobook onde ensino detalhadamente sobre cada um desses 3 pilares do conteúdo inteligente:

O Social Media deve cobrar pela estratégia de forma separada?

Eu recomendo fortemente que o Social Media cobre, primeiro, pela estratégia de conteúdo.

Ao fechar um projeto, é interessante alinhar com o cliente um prazo mínimo para desenhar a estratégia e, somente depois, iniciar a execução.

Também recomendo que cobre adiantado pelo trabalho da estratégia.

E por que falo isso? Porque eu mesma já passei por situações em que entreguei ao cliente a estratégia sem cobrar previamente e ele simplesmente levou para executar com outra agência.

Para não correr esse risco é que recomendo cobrar pelo menos um valor de entrada para iniciar a elaboração da estratégia. Assim, após apresentar o projeto, caso ele decida fazer com outra empresa ou profissional, ao menos o seu trabalho foi remunerado.

Mostrar ao seu cliente em cada conversa e cada decisão que o projeto dele será tratado de forma personalizada muda o jogo.

Após a apresentação da estratégia, o cliente vai entender todo o processo de execução, que existe um passo após o outro e que leva o tempo certo para que cada etapa seja implementada e traga os esperados resultados.

Isso traz percepção de valor ao seu trabalho, ajuda a criar um relacionamento de confiança com o cliente e, assim, é possível cobrar os valores que mencionei acima.

Além disso, também dá segurança para o momento da execução.

A estratégia de conteúdo funciona como um verdadeiro mapa com tudo o que é preciso ser feito em cada momento para aproximar o cliente dos resultados.

É por isso que consideramos a estratégia de conteúdo o pó em ouro na hora de negociar valores com o cliente e também na hora de executar o que é preciso ao longo do projeto.

Como fazer um portfólio de Social Media?

Quem deseja ser muito bem remunerado pelo serviço de Social Media precisa ter um portfólio capaz de impressionar os seus futuros clientes.

Considero pontos essenciais de um portfólio:

  • Escolher os principais projetos atendidos;
  • Colocar amostras dos trabalhos e sinalizar o seu papel em cada um (planejamento, texto, imagem, etc);
  • Colocar dados do engajamento dos posts;
  • Mencionar o período que o projeto foi atendido;
  • Número de seguidores.

Minha recomendação de ouro é deixar um pouco de lado os cursos realizados e focar mais naquilo que de fato entrega e faz.

O cliente com certeza está mais interessado em saber quais resultados o seu trabalho pode trazer ao perfil dele do que nas suas qualificações pessoais.

Isso serve tanto para quem busca clientes como autônomo quanto para quem procura por estágio ou vaga de emprego, beleza?

Para te auxiliar nessa empreitada, elaborei um modelo de portfólio para Social Media, que você pode baixar a seguir:

E se eu nunca gerenciei um perfil?

Quem está iniciando precisa usar a criatividade a seu favor.

Pode ser trabalhando em seu perfil pessoal, oferecendo o serviço gratuito ou por um valor bem baixo para ter algo para incrementar esse portfólio.

A única regra e ter algum resultado de crescimento de conta e engajamento para mostrar.

Assim, fica muito mais fácil fechar novos projetos.

Conquistando clientes como Social Media

Após estruturar o seu portfólio, chega o momento de colocar o seu bloco na rua e atrair clientes. Mesmo que você seja um iniciante, pode e deve estar com as antenas ligadas para atrair clientes.

Isso mesmo, o verbo é atrair. Esqueça a figura do vendedor de porta em porta. Recomendo sempre focar em estratégias que façam o cliente sentir que você é o profissional capaz de resolver o problema que ele tem.

Essa postura está completamente relacionada ao posicionamento do Social Media, que atrai clientes com bons conteúdos.

Por isso, vale a pena manter um perfil de rede social à sua escolha atualizado, seja Linkedin, Instagram ou outra que faça sentido. Ter um site também é uma opção.

Frequentar grupos e comunidades relacionados ao tipo de cliente que deseja atrair também é importante. Quer fazer conteúdos para o comércio? Vale a pena fazer um evento na CDL da sua cidade. Quer atender infoprodutores? Esteja nas comunidades em que eles estão.

Mostrar o seu trabalho contribuindo com conhecimento é um meio bastante inteligente de conquistar clientes.

Ao se posicionar como alguém que entende de redes sociais, fica mais fácil atrair clientes que estão interessados no seu portfólio e que desejam fechar um projeto.

O que faz um Social Media?

A principal habilidade de um Social Media é fazer a estratégia de conteúdo.

O gestor fica responsável para que textos, imagens, horários de posts e redes sociais escolhidas estejam todos alinhados aos objetivos do cliente.

Para isso, em 11 anos atuando nessa área, identifiquei como fundamental para o Social Media as seguintes habilidades:

  • Dominar a língua portuguesa;
  • Curiosidade;
  • Criatividade;
  • Estudar muito;
  • Poder de síntese;
  • Capacidade de análise;
  • Organização;
  • Entender um pouco de design

Todas essas habilidades são desejáveis ao Social Media ao longo do projeto. Porém, não é obrigatório que encaixe em todas.

Ao menos uma noção de cada uma auxilia no andamento do projeto. Por exemplo, um redator não precisa saber usar ferramentas de edição de imagens.

Porém, ao adquirir uma noção visual, consegue identificar o que faz sentido ou não em relação às imagens produzidas pelo designer.

Conforme os projetos crescem, é possível que chegue um momento em que o Social Media precise agregar ao seu negócio novos parceiros.

Assim, para saber identificar a qualidade de entrega de cada novo colaborador, é interessante conhecer um pouco de cada área.

Redator, designer, editor de vídeo: o que é preciso fazer?

Um trabalho de execução de conteúdo para as redes sociais precisa de todas essas funções.

Texto, imagem e vídeo são conteúdos.

Logo, um designer que deseja trabalhar com redes sociais pode tornar-se um designer social media.

O mesmo serve para o redator e o editor de vídeos. Todos esses profissionais podem focar em fazer conteúdos para redes sociais e oferecer aos seus clientes.

O mesmo serve para gestão de tráfego, afinal, trabalhar com anúncios é uma estratégia cada vez mais utilizada por negócios de diferentes portes.

Tudo isso depende das habilidades que o profissional concentra. Conheço pessoas que exercem bem mais de uma dessas funções, porém, não é necessário.

Na minha visão, a única coisa que o Social Media não pode deixar de saber fazer é a própria estratégia de conteúdo. Essa é a função principal que uma pessoa deve desempenhar quando resolve se posicionar como Social Media.

Como escolher o nicho?

Já falei aqui que não é preciso ter formação em Comunicação ou Marketing para atuar como Social Media.

Afinal, toda e qualquer experiência que já tenha tido em sua vida pode agregar ao seu trabalho como Social Media. Isso pode ajudar até mesmo na definição do nicho.

Sei que muitos profissionais ouvem que o dinheiro está no nicho e ficam ansiosos para descobrir logo qual nicho seguir. Ou mesmo, pensam que é preciso defini-lo antes de começar a prestar serviços.

Para quem está começando, não é obrigatório nichar no dia zero.

Eu mesma não comecei a atuar com nicho definido.

Hoje, a Like Marketing atende exclusivamente profissionais da saúde. Porém, já fizemos conteúdos para lojas, restaurantes, empresa de guindaste, pet shop, indústrias, entre outros.

Só decidimos nichar quando entendemos exatamente quem era o cliente ideal: o médico que precisa da nossa ajuda para se posicionar nas redes sociais.

Toda a conjuntura de ser especializada na área de saúde, que permite um conteúdo mais personalizado e de forma mais rápida, além de ser um nicho lucrativo, só fomos descobrindo no decorrer da nossa atuação.

Não existe uma receita de bolo para definir o nicho. Porém, para identificar se aquele nicho e bom para o seu negocio, e interessante considerar:

  • Aquilo que você faz bem e rápido;
  • Aquilo que atende uma necessidade do mercado;
  • Aquilo que remunera bem.

Não recomendo gastar fosfato pensando em escolher um nicho antes de começar a trabalhar.

Esse nicho costuma revelar-se ao longo da sua trajetória. Logo, você pode ser um fisioterapeuta e atender projetos que não sejam de saúde, caso precise de projetos paa iniciar um portfólio.

Quer aprender na prática a tornar-se um Social Media?

Parabéns pela decisão inteligente!

Você que leu até aqui, é sinal que está preparado para ingressar no meu curso através do COMBO SOCIAL MEDIA.

São os 3 cursos mais completos do mercado pelo valor de um único:

Criadores de Conteúdo

Ensina todas as habilidades técnicas que o profissional precisa para criar e executar estratégias de conteúdo inteligentes. São 22 módulos e mais de 100 aulas, mas, logo ao final do quarto módulo, se fizer tudo como ensino, já pode ter a sua primeira estratégia criada.

Profissão Social Media

Ensina todas as habilidades comerciais que o Social Media deve dominar para vender o seu serviço de estratégia e execução de redes sociais.
Em 29 aulas, o aluno se capacita para gerenciar as necessidades do cliente, sempre se posicionando como um expert no assunto marketing de conteúdo. 

Criadores de Vídeos

Ensina o Social Media a destravar ao fazer seus próprios vídeos. Mas, não é só isso: com o Criadores de Vídeos, o Social Media entende como fazer os vídeos trazerem os resultados esperados em uma estratégia de conteúdo.

Preste atenção, criatura criadora:

Somente nesta semana os 3 cursos estão pelo preço de um único!

Para saber mais e fazer a sua inscrição, clique no botão abaixo:

Treinamento on-line para aprender a criar conteúdo e

crescer nas redes sociais

rejane-toig

Rejane Toigo

DIGITAL STRATEGIST & NEUROMARKETING CEO. Distribuição on-line de conteúdo científico.